segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Campos do Jordão

Campos do Jordão é uma cidade onde sempre gosto de voltar. As duas primeiras fotos foram tiradas, quase que do mesmo lugar do Morro do Elefante, em 1987 e 1994. Esse é o morro no qual está instalado o teleférico. 



Essas outras são do ano de 2000, e mostram bem que o local, embora sem a tranquilidade de anos atrás, ainda passa muita calma.


terça-feira, 2 de dezembro de 2008

De volta ao passado


Depois de ter narrado, fotograficamente, viagens realizadas nos anos 2000, volto ao passado, com viagens realizadas em 1964. Os postais são todos dessa época.

Poços de Caldas fica a 260 km de São Paulo e deve sua fama às suas fontes de águas minerais, com propriedades terapêuticas.

Estive em Poços mais duas ou três vezes, depois dessa primeira visita. Não sei como está atualmente o turismo em Poços, mas parece que o seu auge ocorreu nas décadas de 50 e 60.


Campos do Jordão, conhecida como Suíça Brasileira, fica no estado de São Paulo, a 170 km da capital. É uma cidade charmosa, com suas lindas montanhas, muito verde, pinheiros e plátanos, muitas flores, principalmente hortênsias, e um clima ultra-agradável (para quem gosta de um friozinho gostoso).

Conheci Campos do Jordão em 1964, mas volto para lá sempre que posso. É um lugar que me encanta. Pena que não dê tempo para ir bastante, principalmente fora da temporada, pois em pleno inverno (que é a sua temporada) a cidade fica lotada e praticamente intransitável. Essas fotos são todas do início da década de 1960, e é impressionante a mudança que ocorreu por lá nas últimas décadas. 





quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Chile


Estive no Chile em duas ocasiões : em 2004, quando Santiago foi o ponto de início para uma viagem pelos fantásticos lagos chilenos. E agora, em 2008, quando Santiago foi o ponto final da linda viagem pela Patagônia.
A grande beleza de Santiago deve-se à sua situação geográfica: fica num vale, circundado pela Cordilheira dos Andes. A visão dos Andes é maravilhosa. A gente está caminhando por uma determinada rua, observando o movimento e as construções, quando de repente vira e dá com a visão majestosa da cordilheira. Mas essa mesma situação geográfica, responsável pela beleza, também parece ser, em grande parte, responsável pela poluição que atinge a capital. Por isso, há dias em que, infelizmente, não se consegue ver os Andes.








Palácio de La Moneda, sede do governo federal. Ao vê-lo, não se pode deixar de sentir tristeza pela lembrança dos dramáticos fatos lá ocorridos.


Outro lado do Palácio de La Moneda, com o monumento a Salvador Allende, na Praça.


Cerro Santa Lucia, pequeno monte, no centro de Santiago. Ponto turístico interessante. Essa é a sua entrada. Em dias claros, permite uma vista bonita da cidade.


Essas fotos são de 2008.

Catedral de Santiago. Quase ao seu lado, edifício moderno, espelhado, que a reflete.


Interior da catedral. Iluminação só no altar central (clique para ver melhor).



"La Chascona" (A descabelada, ou desgrenhada) - Casa do grande poeta chileno Pablo Neruda, em Santiago. São três as suas casas, que viraram museus. Também conheci La Sebastiana, em Valparaíso.

Adorei a visita à La Chascona, que merece acompanhamento por guia. A arquitetura da casa é curiosa, com feitio de barco, como também as outras. Três andares, salas pequenas, escadas estreitas e circulares, teto baixo. Objetos interessantes, vistas agradáveis.

Ainda no Chile, no ano de 2004, fizemos um pequeno roteiro pela linda região dos lagos. Além da beleza dos lagos, a beleza esplendorosa do vulcão Osorno.

Lago Llanquihue e vulcão Osorno

Saltos de Petrohue e Osorno. O rio corre entre grandes massas de lava cristalizada.


Saltos do rio Petrohue, que desagua no Lago de Todos os Santos, também chamado de Lago Esmeralda.

Puerto Varas. Ao fundo, o vulcão Osorno.

Lago Rupanco e Cerro Puntiagudo

Lago Llanquihue e vulcões que o rodeiam.
Lago e vulcão, em 2004.

sábado, 8 de novembro de 2008

De Ushuaia a Valparaíso.

Partimos de Ushuaia, passamos pelo Cabo Horn (ponto extremo da América do Sul) e atravessamos o Estreito de Magalhães, que permite a passagem do Oceano Atlântico para o Pacífico. Essa parte do cruzeiro teve momentos de mar muito agitado, mas que não trouxe qualquer problema. Ondas enormes e bastante balanço, embora o navio fosse uma fortaleza. Visual diferente, mas sempre lindo, muito lindo.


video


Cabo Horn

Depois de passarmos pelo Cabo Horn, e atravessarmos o estreito de Magalhães, chegamos a Punta Arenas. Ushuaia é a última cidade da Argentina. O Cabo Horn e o Estreito de Magalhães fazem parte do território do Chile. Punta Arenas fica bem próxima ao Estreito de Magalhães:


Passamos o dia em Punta Arenas e continuamos com a navegação até Puerto Montt (o navio ficou ao largo e descemos em botes). Puerto Montt fica na linda Região dos Lagos. A idéia era ir de Puerto Montt até Puerto Varas (a 40 km), para rever o belíssimo vulcão Osorno, mas chovia muito, o que nos fez desistir. Falarei sobre o Osorno quando postar sobre a viagem aos lagos chilenos.

O cruzeiro terminou no porto de Valparaíso (Chile), cidade muito original. Tem vários montes (cerros), o que faz com que a comunicação, da parte alta da cidade com a costa, seja feita por meio de “ascensores”. Sua área histórica foi declarada como Patrimônio Cultural da Humanidade, pela UNESCO.

Cenas de Valparaíso:

Algumas das fotos que fiz em Valparaíso.



De Valparaíso seguimos para Viña del Mar, conhecida como a cidade das flores, cidade turística com várias atrações. Na ponta do balneário de Reñaca (praia grande), muitas rochas, entre as quais uma conhecida como “Roca de Michael Jackson” (porque clareou, conforme nos disse o guia de turismo). Nessa rocha, muitos pássaros, gaivotas, pelicanos, e uma colônia de leões-marinhos.


Fotos que fiz em Viña del Mar:

Museu de Arqueologia, com uma das estátuas (moai) da Ilha de Páscoa.


"Roca" do Balneário de Reñaca, em Viña del Mar



Gaivota, símbolo de Viña del Mar.

De Valparaíso a Santiago, passando por Viña del Mar, fizemos o passeio de carro. Santiago, que merecerá outro post, é essa beleza, emoldurada pela Cordilheira dos Andes.