quarta-feira, 6 de maio de 2009

Bonito


Estou querendo falar um pouco sobre minhas viagens pelo Brasil, e até já fiz uma introdução. O difícil é decidir por onde começar. Já andei falando sobre algumas cidades, abordando principalmente fatos antigos. São Paulo, Santos, São Vicente, Guarujá, Campos de Jordão, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, algumas cidades históricas de Minas Gerais e outras, já mereceram referências. O jeito é continuar, caso contrário tudo que tenho para contar acabará se tornando “fato antigo”Vi há poucos dias, numa revista semanal, uma foto linda da Gruta Azul em Bonito, e vou pegar isso como “gancho” para retomar minhas lembranças de viagens.

Bonito é uma cidade de Mato Grosso do Sul, estado da região centro-oeste. As distâncias entre uma cidade e outra de Mato Grosso do Sul são bem grandes, e Bonito está localizada a 330 km de Campo Grande, capital do Estado.


Seu nome é muito adequado. É uma cidade pequena, praticamente com uma única rua central (pelo menos quando eu lá estive), mas tem passeios lindíssimos. Até pouco tempo, o trecho entre Campo Grande e Bonito só podia ser feito por via terrestre. Agora já há rotas áreas para lá.

Todos os passeios em Bonito ficam afastados do centro, e precisam ser reservados, pois há limite diário do número de pessoas, e necessidade de acompanhamento por guia turístico. Os aquários são todos naturais.



Quando lá estive, no ano de 2000, visitei a maravilhosa Gruta do Lago Azul, o Aquário Natural no Rio Sucuri, o Rio do Peixe, o Rio Formoso, e cachoeiras. Andei de barca por um dos rios e, maravilha das maravilhas participei de flutuação no Rio Sucuri.

Eu, que não gosto de colocar a cabeça embaixo da água, pus roupa própria, nadadeiras, snork e máscara, para poder flutuar e admirar o fundo do rio e o número incrível de peixes lindos. Foi um passeio fantástico.

Acima, quase prontos para a flutuação. Abaixo, flutuando, em silêncio, para ver os lindos peixes.


O outro passeio de tirar o fôlego é o da Gruta do Lago Azul. O caminho é um pouco difícil. Tem-se que descer cerca de 100 metros, por uma escadinha natural (terra e pedras) bem íngreme. Pelo caminho, estalactites e estalagmites. A visão que se tem, ao se chegar no fundo, é de uma beleza indescritível: a água é de um azul profundo.

Acima, descendo a escada natural. Abaixo, com minha filha, já dentro da gruta. Cada grupo tem um número limitado de pessoas. 


E aqui, o esplendor do lago azul, na profundeza da gruta:


Bonito é realmente "bonito". Pena que foram poucos dias e, com certeza, não deu para conhecer toda a "boniteza" do lugar.


As fotos em slide, e a do lago, foram tiradas daqui.