domingo, 4 de abril de 2010

Ainda Luberon




Antes de encerrarmos nossa viagem pela Provence, reservamos mais um dia para rodarmos pelos vilarejos do vale do Luberon.

Iniciamos por APT. Estacionamos o carro e andamos algumas quadras para um reconhecimento, mas logo despencou uma chuva meio forte. E nós, sem abrigo ou guarda-chuva.


Acabamos encontrando uma lojinha onde compramos dois pequenos “parapluies”. Conseguimos andar mais um pouco e passamos pela famosa casa de doces glaçados de APT. Suas vitrines são muito interessantes, e os doces muito apetitosos. 




Em seguida, pegamos o carro e continuamos o passeio. Andamos mais ou menos 10, ou 15 km, e chegamos a Bonnieux, bem na hora do almoço. Não sei porque deixei de anotar o nome do restaurante, lugar charmosinho, toalhas de mesa escuras (azul-marinho com dourado) e paredes de pedra. Contrariando os costumes, os pratos escolhidos foram servidos em porções generosas.


Como entrada, pedi um prato que parece ser o top do lugar: “Pain de Chèvre au feu de bois”. É um tipo de “foccacia” enorme, assada no forno de lenha, que vem acompanhada por uma saladinha verde muito saborosa. 


Só essa entrada teria sido suficiente, mas já havia pedido o prato principal: “Cuisse de canard au cepe” (coxa de pato com cogumelos). 


O Berto, para variar, pediu um prato de “agneau” (cordeiro), que ele adora.

De Bonnieux seguimos para Lacoste, Oppede, Oppede Vieux e Merlau.

Vimos tudo somente de passagem. A chuva não deu trégua e não nos animamos a descer. O jeito foi observar o melhor possível, de dentro do carro. Notamos que, em todos esses vilarejos há muitas casas de pedra.


Achei Oppede Vieux um charme total.

E de Lacoste, que fica bem no alto, achamos a vista muito linda.

                      "Mairie" de Oppede





Voltamos para nossa base em Avignon e, no dia seguinte, 16.09.2009, continuamos nossa viagem para Paris. Deixamos o carro na estação de trem (SNCF) de Avignon e pegamos o maravilhoso trem rápido (TGV) para a cidade dos sonhos. O melhor é que não precisamos carregar nossas malas pesadas. Usamos um serviço fantástico da Empresa de Trens SNCF : a empresa pega as malas no hotel, e entrega-as no destino contratado. Isso facilita muito a viagem de trem, permitindo que se carregue, somente, a bagagem de mão.

Paris! Paris!

Preciso escrever sobre Paris, mas antes tenho que fazer um levantamento das outras vezes em que estive lá, e digitalizar algumas fotos das épocas. E isso requer bastante tempo. Mas chegará.